Livro: Admirável Mundo Novo

Livro: Admirável Mundo Novo

Olá gentes, tudo bem? Voltei depois de algum tempo para falar de um livro antigo, mas ao mesmo tempo bastante atual: Admirável Mundo Novo, de Aldous Leonard Huxley.

Esse é um daqueles livros clássicos que apesar de terem envelhecido de maneira um pouco torta, ainda se conectam com a nossa realidade. Aqui vale também uma menção ao 1984, do George Orwell (mas esse é tópico para outro post)

Originalmente lançado em 1932 (no pré segunda guerra, portanto), o livro fala de um mundo futurista onde a “religião” foi substituída pelo Fordismo. Em resumo bem resumido, é uma aplicação da forma de pensar da produção em massa na nossa sociedade onde, cada indivíduo pertence ao todo, e tem um papel definido na sociedade. Não há mobilidade social, ou qualquer coisa do gênero. E claro, há um problema nisso…

“Mas Glauber, o que isso tem a ver com o que estamos vivendo hoje?”

Já li o livro, e agora?

Se fosse hoje, talvez o equivalente seria atualizar o Fordismo citado no livro para o modelo Toyota, ou quem sabe o Agile e a Transformação Digital… quem sabe? (Mas esse também é um assunto para outro post.)

Eu poderia também falar do modelo das castas… no livro, a sociedade é dividida em grupos, que tem privilégios e responsabilidades diferentes. Faça-se aqui, um paralelo com o que vivemos hoje no Brasil, onde políticos, judiciário, força de trabalho, forças armadas, etc…, tem benefícios e tratamentos diferentes em nossa sociedade.

Mas chega de spoiler… Senão estraga a surpresa.

Não li o livro!

Não tem problema. O livro tá em promoção em tudo que é lugar, já que é um dos clássicos da história.

Ah, e pra quem gosta de games, e já jogou Fallout 4, por exemplo, vai notar algumas semelhanças da história em relação às tecnologias e tal. Mas isso também é tópico pra outro post.

Para terminar

Olhar pra frente a partir das reflexões do passado pode ser um exercício interessante.

Para um livro escrito já faz tanto tempo, perceber que muito do que acontece hoje em dia estava de alguma forma e em algum nível descrito naquela obra, acaba sendo um pouco assustador.

Mas isso faz parte, e cabe a nós que estamos por aqui, fazer a nossa parte para que os finais das histórias que foram sonhados por esse pessoal lá atrás, tenham um desfecho feliz.

Dica final:

Leia bastante, questione (mas faça isso direito, seguindo a ciência) e participe da mudança.

Valeu gente!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: