Estou ocupado!

Estou ocupado!

Este não é um texto de auto-ajuda, nem um desabafo.

Bem, você já deve ter dito (ou pensado) isso em algum momento da sua vida, não é mesmo? E provavelmente foi verdade, não se preocupe.

Mas hoje, vamos falar de um fenômeno que observo com frequência nestes meus anos trabalhando por aí. O fenômeno da ocupação infinita!

Primeiro queria começar com uma [ironia mode =on] constatação chocante! [/ironia]

Estar muito ocupadE não te torna importante nem especial!

eu!

Pois é gente, é verdade. Por incrível que pareça.

Ocorre que estar ocupadE virou uma espécie de status no mercado de trabalho, pois – na minha leitura livre – faz com que a pessoa sinta que é mais importante, e consequentemente, indispensável ao andamento das coisas.

Acontece que – como disse algum colega meu certa feita – se você está ocupado a ponto de não ter tempo pra nada, dificilmente vai ter tempo pra fazer aquelas coisas que realmente vão fazer a diferença na sua vida / carreira / etc… afinal, quando tudo é importante a ponto de tomar todo o seu tempo, nada mais é.

Reflexão

No meu momento filósofo amador e sem embasamento científico, me ocorreram algumas possíveis causas para este fenômeno, além do que comentei acima (e fique a vontade para discordar, naturalmente):

  1. Ou a pessoa não tem organização suficiente para entender o que é importante, urgente e/ou relevante, o que significa também saber quando dizer “sim” ou “não” para as coisas.
  2. Ou falta algum tipo de conhecimento técnico para a realização do que a pessoas se propôs.
  3. Ou falta gente suficiente na área onde a pessoa atua, para que as coisas aconteçam no tempo e na forma como deveriam.

De qualquer modo, os 3 casos são “resolvíveis”, acredito eu…

Assim, resta a reflexão. Queremos de fato acabar com esse sentimento de estarmos “100% ocupados”?

Mas e aí?

“Ah, mas se a gente não tiver gente ociosa é melhor!”, certo?

Quem trabalha com atendimento sabe que uma taxa de ocupação próxima a 100% não é necessariamente bom. E nem vou puxar embasamento teórico. Vamos usar a lógica.

Se: Você está muito ocupadE a ponto de não ter tempo pra nada, você também não terá tempo para resolver os problemas que causam isso. Estar com sua ocupação em 100% não é a solução.

Assim, peça ajuda pra algumE coleguinha, delegue seu trabalho quando possível, diga não, ou aprenda alguma coisa (pomodoro, por exemplo) que te ajude. Antes de ir atrás de soluções megalomaníacas, mudanças de processos ou qualquer outra coisa mirabolante, faça o simples: Diminua o ritmo… dar uma ajeitada no seu quadrado é sempre um bom primeiro passo.

E por favor, lembre-se:

Se você está ocupadE demais, não se orgulhe. Peça ajuda!

eu, novamente!

Até a próxima!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: