Glauber Vicari

Sobre métodos ágeis

Tenho visto muitos esforços no que o pessoal tá chamando de transformação (???) ágil, aí pelo mercado.

Embora o movimento tenha começado há bastante tempo (bastante mesmo!), parece que agora as grandes corporações começaram a ver algum valor nisso, para além do desenvolvimento de software.

Talvez confusos por conta do nome, ouço diversas ideias de como “podemos fazer as coisas de forma ágil”, o que na prática, não é necessariamente o foco da coisa.

Essa confusão de “fazer rápido”, com a questão de SCRUM, KanBan (e por aí vai), acaba por fazer desacreditar o movimento, uma vez que a expectativa sobre a entrega estará errada.

Lembro de uma participação recente que tive em um programa de transformação, onde a maioria dos participantes estava imerso nestas expectativas, o que gerou por consequência uma grande insatisfação, fazendo parecer em um primeiro momento que, ágil não era uma solução adequada, e que deveríamos voltar a fazer tudo do “jeito tradicional”.

Depois de algum esforço, e com uma boa dose de materiais informativos, gradualmente a visão foi sendo adaptada, e também a expectativa, chegando hoje a uma situação que, embora ainda não resolvida, já é muito mais próxima do que de fato pode ser entregue com esta forma de trabalhar.

Meu ponto aqui nem é falar de sabores do ágil, ou defender a prática em relação a uma ou outra forma de trabalho. A questão é: Setar a expectativa com base no que é possível obter em troca, caso contrário, a frustração pode ser grande.

Por fim, um último ponto sobre o ágil (talvez dois).

Apesar de ter muita coisa por aí, como cursos, livros, videos, e afins, costumo dizer que o ágil é uma questão quase cultural, ou de mindset (talvez seja, inclusive). Quanto mais você vive o tema, mais você compreende como as coisas se passam.

Na prática, em algum momento acontece um “gatilho” na nossa cabeça, onde as coisas ficam claras, de uma hora pra outra. Uma epifania, talvez… que não pode ser aprendida, senão, com a vivência no tema (mas não deixe de ler, fazer cursos, ver vídeos, porque são eles que farão com que você, na hora certa, tenha seu próprio momento.)

Abraço!

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: